Name Price24H (%)
Bitcoin (BTC)
R$22,052.28
-3.43%
Ethereum (ETH)
R$666.70
-3.86%
Litecoin (LTC)
R$296.54
-1.85%
Binance Coin (BNB)
R$28.13
-0.03%
Parceria realizada pela Pagcoin permite ganhar Bitcoins comp...

Bitcoin

Parceria realizada pela Pagcoin permite ganhar Bitcoins comprando em sites como Netshoes, Dafiti, Americanas.

PagCoin, primeiro gateway de pagamentos em Bitcoin do Brasil, firma parceria com o site de cashback Poup, permitindo que consumidores recebam em moeda virtual

O comércio eletrônico brasileiro cresce ano após ano. Em 2013, registrou alta de 25% em relação a 2012, somando quase 50 milhões de clientes nas compras online, segundo dados da e-bit. A novidade é que estes consumidores estão começando a descobrir as vantagens do uso de cupons de desconto e de sistemas de cashback (dinheiro de volta) – que permite a restituição de parte do valor gasto.

O número de adeptos aos cupons e ao cashback ainda é relativamente baixo no Brasil, se comparado a quantidade de internautas. Mas a prática já começa a ganhar força entre os consumidores de e-commerce e, com isso, surgem cada vez mais empresas especializadas na oferta desses serviços.

Um dos exemplos é a brasileira Poup (www.poup.com.br), que oferece cupons de desconto, desde 2011. Recentemente, a operação foi ampliada, justamente para atender aos interessados em aderir ao sistema de cashback – que, hoje, já são centenas de milhares de consumidores.

Atualmente, a Poup mantém parceria com mais de 100 lojas virtuais, incluindo Americanas.com, CVC, Dafiti, Netshoes, Oppa, Ricardo Eletro e Walmart, entre outras. E, embora ainda haja certa desconfiança com esse tipo de oferta, o modelo de negócio é bem simples: ao redirecionar o visitante de seu site para a loja, a Poup recebe uma comissão sobre as compras efetuadas e repassa parte do valor ao próprio consumidor.

 

Nova parceria rende cashback em Bitcoins

Seguindo as tendências mundiais do acelerado universo online, a Poup acaba de firmar uma parceria com a PagCoin.com (www.pagcoin.com), startup pernambucana que criou o primeiro gateway de pagamentos online do país, concebido especialmente para transações em Bitcoins: o PagCoin

Pelo acordo, quem comprar algo com opção de cashback, via Poup, poderá receber o dinheiro de volta em Bitcoins e o processamento será feito pela startup. “O consumidor já pode ter os primeiros Bitcoins, sem comprar a moeda virtual”, sugere João Paulo Oliveira, CEO da PagCoin.com.

Segundo Carlos Botelho, um dos fundadores da Poup, a exemplo do cenário mundial de Bitcoins, o cashback crescerá exponencialmente no Brasil, com certeza. “Aliar essas duas tendências é oferecer ao cliente a opção de começar, desde já, a usufruir benefícios econômicos das transações online.”

Atualmente, mais de 12,7 milhões de Bitcoins já estão em circulação no mundo. Para dar uma idéia de volume financeiro, pela cotação de 8 de maio, este valor exato correspondia a quase R$ 14 bilhões.

Ou seja, a moeda virtual conquista cada vez mais internautas em todos os continentes.

Neste cenário, os novos parceiros estão otimistas. Oliveira conta que a expectativa é ter pelo menos 15.000 cadastrados no sistema de cashback em Bitcoins, até o fim deste ano. Além disso, ao usar Bitcoins, o consumidor pode fazer negócios economicamente mais interessantes.”
PagCoin: transações seguras e de baixo custo

Fruto de investimentos da ordem de R$ 200 mil, o PagCoin foi lançado no início de maio e permite que operações de e-commerce aceitem a nova moeda virtual, sem qualquer risco. Isso porque as transações são convertidas, automaticamente e o valor é depositado, em Reais, na respectiva conta bancária.

Com implantação gratuita nos sistemas de e-commerce, a grande vantagem do PagCoin é o baixíssimo custo operacional por transação, fixado em 1% do valor convertido. Segundo Oliveira, as transações feitas pelo novo gateway reduzem os gastos por transação em, no mínimo, 60% – se comparadas às realizadas com operadoras de cartões de crédito.

Outra vantagem para lojistas é a possibilidade de aderir à nova tecnologia sem ter de investir em infraestrutura, tampouco nas transações que envolvem a alta variação da moeda virtual. “Nós assumimos todo o risco, ficamos com as Bitcoins, acompanhamos as taxas de câmbio, convertemos a moeda e efetuamos o depósito bancário. Ou seja, nada muda para a loja, que continuará a receber em Reais, de maneira rápida e transparente”, detalha Oliveira.

Ele lembra que, ao ampliar a oferta de meios de pagamento, as lojas podem atrair novos clientes. Mesmo porque, além de oferecer mais segurança nas transações, o novo meio de pagamento garante total privacidade aos consumidores, pois não envolve cheques, cartões, boletos, extratos etc. “Os meios de pagamento convencionais não foram concebidos para a Internet e, por isso, sempre oferecem riscos de segurança e a possibilidade de vazamento das informações dos clientes”, explica.

Segundo Oliveira, o PagCoin atende a todos os requisitos legais que regem as transações financeiras, pois é apenas uma troca de moedas: do dinheiro virtual (usado mundialmente) para o dinheiro oficial (do Brasil). “Em um ano, as transações com Bitcoins já serão uma prática bem comum”, aposta.

 

Sobre a PagCoin.com

A PagCoin.com (www.pagcoin.com) é uma startup pernambucana especializada no desenvolvimento de tecnologias e soluções inovadoras. Com operações em Recife (PE) e São Paulo, a empresa oferece ao mercado serviços diferenciados e orientados por qualidade,resultado e especialização. É uma startup acelerada da Academia Wayra e parceira da Microsoft, que também recebe investimentos da companhia pernambucana Proativa Soluções – empresa que é acionista em projetos inovadores, como o ProDeaf (www.prodeaf.net), especializado no desenvolvimento de tecnologias assistivas focadas na comunicação e integração social entre surdos e ouvintes.

 

 

 

Comentários

coinmag

Fundador e Editor do Bitcoin News Media Group, especialista em construção de marca e tendências de mercado. Foi estudando sobre tendências que conheceu o Bitcoin, desde então se dedica ao Bitcoin News e outros projetos relacionados à Bitcoin.

Bitnami